Ínicio Arquivo

Teixeira Duarte regista lucro de 20 M€ em 2016

 2017-05-29

Luso Cuanza: Teixeira Duarte regista lucro de 20 M€ em 2016

A Teixeira Duarte apresentou um resultado líquido de 20,1 milhões de euros em 2016, um resultado que traduz um decréscimo de 40,1% relativamente aos 33,6 milhões de euros registados pela construtora no ano anterior.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo apresenta uma carteira de encomendas de 2 mil milhões de euros e um EBITDA – que cresceu 30,5% face a 2015 – de 279 milhões de euros. Na nota, o grupo destaca a obtenção de um resultado positivo e explica que, para a quebra no resultado líquido, contribuiu “uma série de factores diferentes”.

Um dos factores consiste na diferença cambial, referindo a construtora também perdas relacionadas com a sua posição no BCP. Relativamente ao “turnover”, cifrando-se em 1,1 mil milhões de euros, e traduzindo uma quebra de 21% face à performance de 2015. O grupo destaca que outros mercados – que não o português -, que tinham um peso de 84,4% neste indicador em Setembro do ano passado, “registaram uma quebra geral de 21,5%, passando a representar 83,7% do “turnover” total do grupo. Angola lidera de longe neste indicador, com um peso de 40,6% e um valor de 452 milhões de euros. A Teixeira Duarte destaca ainda os aumentos na Argélia, Brasil e Venezuela, de 2%, 28,8% e 55,3%, respectivamente. Todavia, o grupo destaca que estes aumentos não compensam as quedas em Angola e Moçambique – 52,9% e 33,8%, respectivamente. No geral, em 2016, o mercado externo foi responsável 85,5% do “turnover” na actividade da construção do grupo.

Em termos de actividade, a construção continua a lidar este indicador, com um peso de 45,4% em 2016, e um valor de 506 milhões de euros – depois de uma quebra de 22,9% face a 2015.

Para este ano, a Teixeira Duarte prevê um crescimento em vários países, com impacto nas actividades da construtora no mercado externo. “Em acréscimo a possíveis novos contratos, o grupo assegurou níveis adequados de actividade na construção no mercado internacional”, refere a nota.

Por  a 26 de Abril de 2017.