Ínicio Arquivo

Rio Plano: Projeto Requalificação Jardim do Campo Grande

 2016-07-15

Luso Cuanza: rio_plano_projeto_requalificacao_jardim_do_campo_grandeLuso Cuanza: rio_plano_projeto_requalificacao_jardim_do_campo_grandeLuso Cuanza: rio_plano_projeto_requalificacao_jardim_do_campo_grande

Jardim do Campo Grande
Requalificação da Zona Norte

No âmbito do projeto do Jardim do Campo Grande da Câmara Municipal de Lisboa, foi elaborado pela Rio Plano a revisão e o projeto de alterações, cuja intervenção incide sobre a Zona Norte (entre a Av. Marechal Craveiro Lopes e a Avenida do Brasil).

O jardim situa-se numa zona central da cidade, assumindo deste modo um papel polarizador de vivências e valências numa resposta que se pretende cada vez mais abrangente, onde os espaços verdes da cidade desempenham um papel preponderante na sociabilização das suas “gentes”. O jardim possui uma tipologia de Parque Urbano e encontra-se inserido num contexto paisagístico e urbanístico marcados pela diversidade morfológica das edificações e pela configuração de ilha rodeada por um fluxo viário intenso.

O projeto teve como principal objetivo a reestruturação do espaço e sua linguagem, mantendo a imagética do parque, porque que é de todos, bem como os seus elementos mais carismáticos, tornando-o assim adaptado às novas necessidades da população, recriando e recuperando as suas atracções e o seu dinâmismo intemporal. Neste sentido, foram redefinidos e hierarquizados os caminhos, tornando-os mais lineares, as zonas verdes foram ampliadas e definiram-se actividades diferenciadas de cariz lúdico ao longo das duas zonas de intervenção. Como uma das principais premissas da intervenção global, associada à preservação e requalificação da vegetação arbórea existente, temos a recuperação dos dois lagos e suas margens. No lago da zona norte, de maiores dimensões e com um papel estruturante em todo o jardim, foi crucial devolvermos o cariz de entretenimento lúdico com a sua recuperação estrutural, permitindo assim a reutilização dos barcos a remos, bem como o usufruto das suas margens, nas suas diversas formas.

A implantação de vários equipamentos lúdicos e recreativos alusivos à temática das matemáticas constituiu um desafio à equipa, onde se destacam o Quarto de Ames (Adalbert Ame), as Sete Pontes de Königsberg (Leonard Euler), a Curva Loxodrómica (Pedro Nunes), uma Timeline com a história do conhecimento matemático desde o séc. XX a.C. até 2012 e os bancos com jogos lúdicos.

A recuperação e revitalização dos vários edifícios existentes, paralelamente à requalificação do jardim e fora deste âmbito, é uma das mais valias para todo o parque urbano, onde se destacam, o famoso e emblemático Caleidoscópio do Arqº. Nuno San Payo, para fins de restauração e Centro Académico, o antigo Clube de Ténis do Keil do Amaral para Clube de Padel de Lisboa, a Casa do lago, mantendo-se como restauração, as antigas piscinas do Keil do Amaral para Complexo Desportivo, a par dos vários edifícios fechados e em vias de recuperação.

Após a construção da Fase 1, em 2013, a CML lançou o concurso público para a empreitada da Fase 2, devendo esta dar início brevemente nos próximos meses.

Fonte Rio Plano